A vida é muito mais do que um iPhone!

By campodegelo

Uma vez dentro do metrô de Berlim, alguns pais me chamaram mais a atenção do que o seu bebê chorando.
A criança parecia perturbada e estava urrando o mais alto possível. Mamãe e papai não estavam preocupados e não tentaram nada para acalmá-lo, até o momento em que o jovem decidiu agir. Ele tira o iPhone do bolso, dá-o ao garoto, que instantaneamente pára o show. Como magia, mas negra.
De volta à França.


A estrada de Autrans para Veaunes (uma pequena aldeia no norte de Valence) não era direta, nem possuía grandes cidades no caminho, que poderiam facilitar minha vida. No entanto, o trajeto não foi complicado de qualquer maneira.
Os pais de Gautier me trouxeram para a estrada principal, e eu não tive nem tempo para terminar meu letreiro quando um lindo casal dos Países Baixos parou para mim. E que passeio incrível. No meio dos vales, montanhas e rios.
Poucos quilômetros depois e eu estava na estrada novamente, sendo levado rapidamente por franceses sorridentes, mas que não compreendiam uma sequer palavra em inglês. Bem, nós nos entendemos bem.
Uma boa caminhada para acabar com tudo, e lá estava eu. No meio dos campos, em uma aldeia sem supermercado, sem padaria, sem comércio. Apenas algumas casas, mosquitos e paz.


Julien era meu anfitrião, um jovem pai de 2 filhos, que também mora com sua namorada e estava sozinho por causa dos feriados. Ele decidiu morar lá por alguns motivos, e eu chamo de qualidade de vida.
Ensinando seus filhos a valorizar as coisas mais simples, desde a comida (ele apenas come orgânicos dos produtores locais), não perdendo tempo com muita internet ou séries, e tendo idéias incríveis sobre ter uma vida mais descomplicada e feliz. Ele me recebeu com uma cerveja completamente local e juntos preparamos um churrasco. Uma noite agradável, divertida e quente, sob o céu cheio de estrelas.
No início da manhã, Julien me deixou no pedágio na estrada indo para o sul.
E aí veio a dúvida. Ninguém havia me aceitado até o momento. Ninguém para me receber em lugar algum.
Ir para Marselha ou Montpellier?
A escolha foi para a segunda opção, pois a rota fazia mais sentido e era uma cidade menor.
2 caronas depois e eu chegava novamente ao meu destino.
250 km em menos de 3 horas, contando o tempo que esperei. A França é incrível!


Tempo para roubar algum WIFI da estação principal e rezar para obter um host.
Foi apenas o momento de me conectar e surgiu uma mensagem promissora: Quentin aceitou você!
Outro cara legal, morando com sua colega de apartamento Marilou, trabalhando em uma associação de bicicletas, me mostrou a cidade, tomamos algumas cervejas juntos e partilhamos momentos engraçados com seus amigos.
Montpellier vale a visita.
No último dia couchsurfer apareceu, Lukáš, um verdadeiro viajante da República Tcheca, que estava no 180º dia a pegar caronas, andar e se aventurar por aí. Adoro conhecer os viajantes com histórias incríveis.

“Toulouse, s’il vous plaît” com sorrisos foi o sinal escolhido desta vez. Bonde para a estrada, caminhar um pouco e outro hitchhiker no caminho. Um coreano que viaja pelo mundo e queria chegar a Barcelona. Ele morava em Noryangjin na Coréia do Sul, quase meu vizinho. A vida sempre aplicando seus truques.
Caminhamos juntos para o pedágio e 20 minutos depois Youcef, um francês com raízes argelinas parou para mim. Rota direta para a 4ª maior cidade da França, Toulouse.
A vida é muito mais do que um iPhone!

This entry was posted in Europa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *