Dinâmica de Grupos Iraniana

By campodegelo

Acordei suado e fedorento.
A baba seca no canto do meu bigode.
No relógio 5:16 da manhã de uma quarta-feira banal.
Não foi um despertador, nem uma crise de ansiedade.
Eu não tinha nenhum compromisso, nenhuma obrigação.

Foi um sonho, ou quiçá um pesadelo.
Nele eu estava do lado oposto da mesa. Eu ditava as regras e não simplesmente me submetia à elas.
Nessa fantasia eu era o recrutador da empresa, e não mais um mero candidato.

Depois do trabalho “braçal” do meu algoritmo, que seleciona pessoas como meros produtos por palavras-chave, comecei a analisar os currículos restantes.
Esse para a pilha do lixo, esse para uma verificação mais aprofundada.
Esse não tem chances, esse outro merece uma investida.
E assim se seguiu o processo seletivo. Uma análise fria e objetiva de folhas de papel, rótulos de uma vida completa resumida em “bullet points”.
Enviei email para os que não se adequaram. Na verdade nem sei se realmente eram ruins.

Com uma lista mais enxuta, contactei os prestigiados.
Resolvi inovar e propor uma dinâmica de grupo, algo além do convencional. Não seria uma mera atividade onde você deveria se impor e tentar cativar uma banca. Eu iria extrair definitivamente o melhor de cada um.
Colocaria cada um deles a uma prova de perseverança e superação.

Como nem sempre se controla o tempo em um sonho, e nem é necessário grandes aportes financeiros, levei todos os candidatos selecionados para o Teerã.
Capital da República Islâmica do Irã, antiga Pérsia, país que comumente toma os noticiários com imagens de extremismo e subversão. Mero engano.
Eu havia estado por lá no passado, e elaborei a dinâmica com dedicação, me baseando em experiências próprias.

Os candidatos eram todos homens. Queria facilitar o processo e evitar maiores transtornos. Sabe como é né, a sociedade ainda é na sua maioria machista. Malditos sejam.

Durante 35 dias os aspirantes à vaga deveriam passar por algumas localidades iranianas pré-definidas.
No decorrer de 35 dias os postulantes ao cargo se locomoveriam sem arcar custos com transporte, nem acomodação.
Como?
Caronas. Couchsurfing. Cara de pau. Colocar a barraca em algum lugar fora da vista da população. Ser acolhido por motoristas. Depender da boa ação de um completo estranho.
Por todo esse tempo não será permitido pagar para ir de uma cidade à outra. Nem abrir o bolso para bancar uma boa noite de sono.

O roteiro deverá ser seguido à risca.

1.Teerã: capital do Irã, maior cidade com cerca de 8 milhões de habitantes

2.Kashan: primeiro dos grande oásis, correndo o deserto central do país. Famosa por sua arquitetura e casas históricas.

3.Abyaneh: vilarejo em uma área rural no meio de montanhas.
4. Isfahan: terceira maior cidade do país com uma das maiores praças do mundo.

5.Yazd: localizada no meio do deserto e uma das cidades mais lindas do país.

6.Kerman: se o tempo colaborar, tente ir ao deserto.

7.Bam: cidade que foi destruída por um terremoto mas que guarda uma fortaleza histórica.

8.Bandar Abbas: cidade costeira, porto importante do país. Fiquem pouco tempo e rumem para a praia.

9.Ilha de Hormuz: a ilha de areia com múltiplas cores.

10.Shiraz: dá nome ao vinho apesar de por lá o consumo de álcool ser proibido. Sede das mais lindas mesquitas.

11.Shahr-e Kord: conhecida como o topo do Irã. Cidade no alto das montanhas, de climas mais ameno.

12.Khorramabad: cidade opcional para pouso.

13.Kermanshah: maior cidade do Curdistão Iraniano.

14.Hamadan: entre as cidades mais antigas do Irã.

15.Sanandaj: capital do Curdistão Iraniano.

16.Uraman Takht: vilarejo curdo no meio das montanhas.

E ai de quem resolver trapacear.
No meu sonho sou onisciente e onipresente, apesar de não ser deus de ninguém, nem de mim mesmo.
O devaneio é meu, então eu que dito as regras.
Como um Show de Truman corporativo, estarei observando todos. De cidade em cidade, de vila em vila, de caminhão em caminhão.

Estarei esperando os que se sobressaírem na fronteira com o Iraque, mais precisamente no lado do Curdistão Iraquiano.
Fiquem tranquilos que o visto não é necessário para brasileiros entrando nesse lado do país, que já foi trucidado pelo ex-ditador Saddam Hussein.

Estarei avaliando vários quesitos como: atividade em grupos, habilidades de comunicação (mesmo sem falar o mesmo idioma), como o candidato lida com a pressão e riscos, improvisação, simpatia, senso de liderança, adaptação, entre outros.

Queria ver quem seria contratado depois de uma dinâmica de grupo destas.
Aliás eu nem deveria estar criticando processos seletivos por aqui.
Caso você seja um recrutador, tenha chegado até aqui, e esteja me questionando, creio que você não sabe nada da dinâmica de grupos chamada vida, mas pode me chamar para a entrevista.

Obrigado a todos os participantes, mas vou dormir mais um pouco.

This entry was posted in Oriente Medio

One thought on “Dinâmica de Grupos Iraniana

  • Rafael Samways abril 25, 2019 at 11:13 Reply

    Sensacional, amigo. Suas reflexões feat. aventuras motivam a sensibilidade e o pensamento crítico sobre humanidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *