A Grande Muralha de Tonsai

By campodegelo

Finalmente usufruir das aguas cristalinas e belezas naturais tailandesas.

Bangkok é uma cidade que oferece muitas opções, mas o trânsito caótico e a poluição excessiva, faz com que uma saída para o litoral se torne necessária.

Com o Natal (que nao é celebrado por essas bandas, por se tratar de um país de maioria Budista) veio a oportunidade perfeita.

Vôo com preço convidativo para Krabi e de lá alguns lugares em mente.

Muito se falava em Railay Beach, ou Rai Leh, uma pequena península entre Krabi e Ao Nang, mais ao sul da Tailândia. As fotos nao me deixaram duvidas e do aeroporto de Krabi tomei um songthaew (que nada mais é que um caminhonete adaptada para transportar passageiros) até Ao Nang, e de lá um longtail (barco motorizado com 10 passageiros) para a praia rodeada de morros, que atraem milhares de montanhistas e turistas.

De cara o desembarque foi na frente de um imponente resort, localizado em Railay West.

Fiquei ressabiado, mas o simplório bangalô que reservei era do outro lado da praia (Railay East), a apenas uma rápida caminhada de menos de 10 minutos de distância.

Deste lado ainda imperam os resorts, mas com alguns bares dedicados ao reggae, com lutas de Muay Thai ou mesas de sinuca.

Amigos já haviam me alertado para essa atmosfera da alta sociedade por aquelas bandas, e com o aviso, veio uma recomendação: Tonsai Beach.

O que nenhum dos meus colegas sabia era o que tinha acontecido com aquele pequeno paraíso.

Saindo de Railay East, rumei junto com um amigo de longa data, faculdade e bebedeiras, para Railay West, onde trilharíamos até Tonsai.

Antes uma parada pela caverna e praia de Phra Nang, com sua água calma e transparente, e dois templos com uma adoração no mínimo peculiar. Duas saliências nas formações rochosas guardavam vários objetos de madeira, que pela proximidade puderam ser identificado: penis, pintos, caralhos, de todas as formas e tamanhos!

Segundo a placa informativa, acredita-se que o espírito da deusa Phra Nang habita essa caverna, e pescadores antes de partir mar adentro, pedem a benção da Deusa. Caso seus desejos sejam realizados, uma oferenda é feita, geralmente constituindo flores ou incensos, mas em alguns casos um presente especial: os lingams. Crê-se que essa oferenda gere a fertilidade e a prosperidade para toda a Terra e a humanidade.

Cada um com a sua crença, certo?

Depois de nos refrescarmos nas águas dessa praia, era hora de rumar para Tonsai. Uma trilha através de um morro nos levaria até lá, mas não prestamos atenção na maré, que alta acabou por molhar todos nossos pertences. Daquele lado da praia continuavam os paredões e morros com suas cordas para escalada, mas nenhuma construção a beira-mar, com exceção de um resort.

Perguntamos à um turista como chegar aos bangalôs e bares, e ele nos apontou uma trilha no meio do nada, com um aviso que deveríamos atravessar o muro por uma escada localizada mais à frente.

Muro? Escada? Como assim?

Um terreno gigante  se estendendo por vários metros e um tremendo vazio. Esgoto de um lado e um muro alto cercando tudo à frente.

E eis que as escadas estavam lá, posicionadas uma de cada lado do concreto. Atravessamos e o que avistamos do outro lado foram várias imagens e pinturas de protesto.

A rede Sheraton comprou há 2 anos o terreno e expulsou todas as construções, fossem pousadas ou bares, da área. Mas até agora nada foi construído.

Os moradores e comerciantes nada puderam fazer, pois em uma jogada do governo, com pitadas de corrupção e da rede hoteleira, tudo foi pelos ares, ou melhor dizendo, para alguns metros adentro.

Destruíram um lugar que era reduto de alpinistas, banhistas, hippies, macacos e trabalhadores.

Ainda assim vê-se locais animados em tentar uma boa conversa, ou te atrair para o bar deles.

Espero que um dia esse muro também venha a cair, para assim todos desfrutarem em paz um paraíso.

Como diria o BaianaSystem:

Tire as construções da minha praia

Não consigo respirar

As meninas de mini saia

Não conseguem respirar

Especulação imobiliária

E o petróleo em alto mar

Subiu o prédio eu ouço vaia

This entry was posted in Asia-pt

2 thoughts on “A Grande Muralha de Tonsai

  • Ana Delavigne dezembro 29, 2017 at 08:35 Reply

    Credo! Como assim? Fiquei horrorizada com.a ferocidade do capitalismo :/

    Mas uma coisa continua igual: cada postagem tua me dá mais vontade de viajar!

    • campodegelo janeiro 2, 2018 at 01:11 Reply

      Vamos cair nesse mundo ai!!!
      Quanto ao capitalismo selvagem, isso acontece em vários lugares, inclusive no Brasil.
      O que tem de praias privadas de resorts e afins.
      Vem me visitar aqui 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *