Nigéria e sua Literatura

By Tomate

Pegar toda a complexidade de uma pessoa e de seu contexto e reduzi-los a um só aspecto é o que Chimamanda Ngouzi Adichie chama de o perigo da história única. No final da postagem estará o link para a sua fala no TED Talk, onde ela demonstra o poder de uma maior diversificação no mundo cultural como um todo.
Pensando nisso, segue uma lista com autoras e autores nigerianos, de hoje ou do passado, para que possamos plurificar as histórias.
De Achebe a Adichie, descubra escritoras e escritores da Nigéria que marcaram seu nome na literatura do continente e mundial.
O nome de cada livro é um link para a rede social Goodreads relativa a obra em questão, dando mais informação para quem se interessar.

Ayọ̀bámi Adébáyọ̀

Obras: Fique Comigo
Ayọ̀bámi Adébáyọ̀
Nigeriana de etnia Yoruba,  Ayọ̀bámi Adébáyọ̀ faz parte da nova geração literária nigeriana. Através do seu primeiro escrito “Fique Comigo”, ela expõe conceitos e temas para entender um pouco a estrutura poligâmica presente na África Ocidental e as relações de gênero na região.

Ben Okri é um poeta e romancista nigeriano, considerado um dos principais autores africanos nas tradições pós-modernas e pós-coloniais. Comparado favoravelmente a autores como Salman Rushdie e Gabriel García Márquez.
Através das suas obras demonstra conflitos, elementos regionais e o interior emocional de seus personagens.
 

Buchi Emecheta

buchi emecheta

Influente escritora nigeriana e recém-lançada no Brasil, Buchi Emechete se comprometeu com a correção dos estereótipos da mulher nigeriana e africana, expondo sua realidade diária e a opressão de normas sociais. Sua obra se caracteriza pelo questionamento de temáticas como a educação da mulher, a valorização da maternidade como única preocupação possível e a violência do colonialismo.
Através dos seus textos ela transmite a necessidade de comunicar e atenuar angústias, demonstrando preocupação com a educação e empoderamento da mulher.

Chigozie Obioma

Obras: Uma Orquestra de MinoriasOs Pescadores
CHIGOZIE OBIOMA“Herdeiro do legado de Chinua”, essa foi a alcunha que o jornal New York Times utilizou para descrever Chigozie Obioma. Coloca suas experiências pessoais em forma de romance para retratar preconceitos, atos de corrupção vivenciados no exterior e situações sociopolíticas do seu país natal.

Chimamanda Ngozi Adichie

chimamanda
Parte da nova geração de escritoras e escritores nigerianos, Chimamanda Ngozi Adichie recebeu prêmios, aclamações e reconhecimento internacinal com pautas raciais, sobre imigração, patriarquismo, globalização e outras temáticas importantes.
Não esqueça de ver o TED Talk sobre sua fala sobre o perigo da história única nas fontes abaixo.

Chinua Achebe

Considerado o pai da literatura Africana, Chinua Achebe recusou títulos honorários do governo Nigeriano em protesto com o regime político do seu país. Seu primeiro romance O Mundo se Despedaça revela o choque entre tradições do povo Igbo no sudeste da Nigéria e a colonização europeia. Mesclando a tradição oral com contos populares, seu trabalho é uma junção de culturas, mudanças sociais e a luta de indivíduos para encontrar o seu espaço.

Femi Osofisan

Femi Osofisan é um escritor nigeriano conhecido por sua crítica aos problemas sociais e por seu uso das performances tradicionais africanas e do surrealismo em alguns de seus romances. Um tema frequente que seus romances exploram é o conflito entre o bem e o mal. 
Aborda a questão de gênero e os problemas vividos por mulheres com frequências nas suas obras.

Helon Habila

Helon Habila é um romancista e poeta nigeriano, cujos escritos ganharam muitos prêmios internacionais. Mais um representante da nova geração de escritores nigerianos, que tentar expandir o conhecimento sobre a Nigéria e assim derrubar o conceito da história única.

 

Ken Saro-Wiwa

Obras: A Month and a Day
ken saro wiwaKen Saro-Wiwa liderava o Movimento pela Sobrevivência do Povo Ogoni (MOSOP), que denunciou a “guerra ecológica das multinacionais petrolíferas”, liderada pela Shell, no delta do Níger, e isso o fez perder a vida. Condenado junto com 8 ativistas ao enforcamento por um tribunal militar, gegundo testemunhas, Saro-Wiwa cantou o hino do seu povo quando foi levado para a forca.
Seu livro A Month and a Day, ainda sem tradução para o português é um relato de um esforço anterior para o silenciar, quando ele foi preso em meados de 1993. Ele expõe tanto a experiência da detenção como a história do seu envolvimento com a causa Ogoni. Acabou por ser libertado em resultado de uma intensa pressão internacional, para ser novamente preso no ano seguinte, pouco depois de terminar este livro.

Lola Shoneyin

Lola Shoneyin

Lola Shoneyin é uma poetisa e autora nigeriana que construiu uma reputação de aventureira, humorística e franca (muitas vezes classificada no molde feminista), tendo publicado três volumes de poesia.
Os direitos da sua obra The Secret Lives of Baba Segi’s Wives, ainda sem tradução para o português, foram recetemente adquiridos pelo Netflix e serão lançados em formato de série. As lutas, as rivalidades, as intrincadas políticas familiares e a interação de personalidades e relações dentro do complexo mundo privado de uma união poligâmica ganham vida nos seus relatos.

Wole Soyinka

Obras: A Morte e o Cavalo ro ReiO Leão e a JóiaÉ melhor partires de madrugadaAké
Wole soyinkaVencedor do Nobel de Literatura em 1986, Wole Suyinka é considerado o maior dramaturgo do continente Africano, focando sua obra na opressão e exploração de tiranias políticas mundo afora. Seu trabalho trata do que ele chama de “o coturno opressivo e a irrelevância da cor do pé que a calça”, e por sua forma de pensar e se expressar tem sofrido com ameaças, especialmente durante governos ditatoriais.

 

This entry was posted in África, Dicas Culturais, Literatura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *