Qual a cor da cueca no Réveillon?

By Guilherme Eisfeld

– Se arruma, esconde isso que o chefe tá chegando!

– Cadê o boy que ainda não chegou com o café?

– Ele tá entrando, ele tá entrando! Vai pra tua cadeira, João!

– Bom dia, senhores! Senhora também, bom dia. Hoje vamos discutir o que colocar na programação de fim de ano. Precisamos de algo novo, revolucionário, que cative o público, e ao mesmo tempo seja inédito, nunca antes visto nas telinhas. Sugestões?

Alguns segundos de silêncio na pequena sala retangular, onde, na sua maioria homens brancos, decidiam a programação a ser exibida em rede nacional.

– Que tal um programa com os acontecimentos do ano? – manifestou um dos âncoras.

– Podemos chamar de… retrospectiva!?

– E as simpatias para a virada? Minha vó só fala disso agora – sugeriu um repórter.

– Quantas uvas a gente tem que comer mesmo?

– Acho que são 12, quando der meia noite.

– Mentira! Minha família chupa 9 bagos.

– Ahhh, chupador!

– Na verdade, ouvi dizer que eram 7, igual ao número de ondas que devemos pular.

– E se não tiver mar, como que faz?

– Tem que guardar caroços de romã na carteira para ter fartura.

– Não dá pra esquecer da lentilha, hein?

– Inventaram esse costume só para poder vender lentilha. Ninguém gosta disso!

– SILÊNCIO! ORDEM AQUI! – gritou o editor-chefe – Foco! Um por vez! Está tomando notas, Bento?

– Sim, chefe!

– Então continuemos. O que mais não pode faltar?

– A loteria! Todo mundo sonha em ficar rico. Dá para entrevistar algumas pessoas fazendo a fezinha – indicou a moça – única mulher da equipe – que anunciava a previsão do tempo.

– E a movimentação nas estradas? O povo fica vidrado em engarrafamentos! Acidentes, então? Nem se fala. Falando nisso, vai chover hoje, Patrícia? Pessoal tá querendo jogar uma bolinha – insinuou o cinegrafista.

– O que não pode faltar na mesa durante as ceias?

– Que tal: 12 técnicas para desinchar e curar a ressaca depois da fartura da ceia???

– Ou então: técnicas para tirar a gordura da louça e da toalha.

– As patroas vão adorar isso!

– Não esqueçam das previsões astrológicas para o ano que vem! Talvez alguma catástrofe anunciada, o time que vai vencer o campeonato. 

– Como que é o nome daquele cara que escrevia o horóscopo? Dá para chamar ele!

– Signos! O povo quer signos.

– Esse ano vou usar vermelho na virada. Eu quero muito amor!

– Eu preciso de dinheiro e sucesso, a cueca tem que ser amarela ou verde?

– E se eu usar um arco-íris, atraio tudo de bom e próspero?

– Sei lá, cara, tenta ai. Só acho que temos que deixar algum repórter de prontidão nas maternidades, para anunciar o primeiro bebê do ano. Quem vai ser o “felizardo”?

– O Jurandir levantou a mão aqui!

– Cala a boca, André – xingou Jurandir.

– Excelente, pessoal. Excelente! Acho que temos uma programação para o fim de ano. Pegou tudo, Bento?

– Sim, chefe. E acho que a cueca tem que ser amarela!

Texto autoral de uma mente em ebulição. Se gostou, aperta o botão abaixo, deixa um curtir, escreve um comentário e faça um aspirante a escritor feliz.

This entry was posted in América do Sul, Devaneios

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *